Logo do Planeta Roxo, clube do livro digital da BilbboLogo do Planeta Roxo, clube do livro digital da Bilbbo

Clube do livro digital de ficção científica e terror.

Logo do Planeta Roxo, clube do livro digital da BilbboLogo do Planeta Roxo, clube do livro digital da Bilbbo

Clube do livro digital de ficção científica e terror.

Fantasia
Aventura
Clássicos
Cyberpunk
Crônica
Sci-Fi
Afrofuturismo
Drama
Terror

Confira as leituras de

Janeiro de 2021

O amor que a vida traz

Clássico
Editora Psiu

Fabrício Corradini

Tradução
Baixar
Download indisponível

Eternidade Imóvel

Conto
2020

Sophia Leite

Autor
Autora
Autor e Organizador
Autora e Organizadora
PDF
ePub
Download indisponível
Sobre

O início de uma nova era. Seja bem-vindo 2021!

Descubra que uma vez em Lugar Nenhum nunca mais poderá sair de lá, entenda que mesmo podendo mudar o passado a melhor escolha pode ser o aprendizado para o futuro e comece de maneira épica 2021! 🥂✨

Baixe os eBooks
Lanterneiro

Tudo sobre os Originais e sobre o Resgate desse mês.

Fique por dentro dos bastidores do clube.

Em breve o Lanterneiro Exclusivo desses mês estará disponível aqui para você.
Conheça outros episódios
Lanterneiro Exclusivo
Janeiro de 2021
0:00
0:00
Conteúdo

Muito mais conteúdo sobre o Planeta Roxo de

Janeiro de 2021

Aqui na Bilbbo, o hub da literatura nacional.

#piadaruim
#autoresnacionais
#clubedolivro
#editorasindependentes
#ficçãocientífica
#terror
Leitura gratuita

Já leu tudo? Continue lendo nossas publicações gratuitas.

Todo mês disponibilizamos quatro contos gratuitos de gêneros variados. Comece lendo os deste mês.

Para ler agora
ver mais
Minis para ler agora
ver mais
Lançamento
Equívoco

I.

Um idoso entrou em uma livraria.

A vendedora solícita pergunta se pode ajudá-lo.

Ele falou:

- Preciso de uma revista que fale de câncer.

II.

- Esta doença sempre sensibiliza, mesmo sabendo que o tratamento é possível.

Ela olhou com piedade para o pobre homem, e providenciou uma cadeira e um copo com água para tornar a espera mais confortável.

III.

Após, folear todo o material da seção de saúde, desapontada, disse:

- Senhor, desculpa! Não tem nenhuma revista que fale sobre o câncer.

IV.

Decepcionado, ele se manifestou:

- Que pena! Sobre capricórnio, você teria alguma?

Ela, não contendo o espanto e risos, questionou:

V.

- O senhor quer uma revista de signos do zodíaco?

Sem entender o motivo de tanta graça, feliz, ele leu o horóscopo do dia e saiu assoviando entre os dentes entreabertos uma melodia.

Simbiose
Sci-Fi

I.

Há 70 anos, os humanos aprenderam o que nós, cachorros, sempre soubemos: nunca confie no mensageiro.

Inicialmente o governo abafou o contato, então a invasão começou silenciosa.

II.

A oferta era de paz, mas o plano: assimilação. Quando os aliens terminavam, ninguém podia dizer a diferença.

Ninguém além de nós.

III.

Então o soro K11 foi feito. Super cães que podiam farejar e eliminar “os outros”.

Ao meu lado, Eva rosnou. As ruas fediam, mas eles fediam mais.

-Estão vindo, Rancor.

IV.

Atacamos e minha prótese pesada era uma arma letal. Passei as rodas por cima dos cadáveres e lambi o sangue do rosto machucado da minha amiga.

A luz o refletia azul.

V.

Ela correspondeu o gesto e seus olhos mostraram o mesmo brilho forasteiro.

“O melhor amigo do homem, também seu salvador” haviam dito.

E como sempre, os humanos estavam errados.

Despedida
Suspense

I.

Ela costumava tomar chá enquanto observava o crepúsculo do alto andar onde morava.

No prédio vizinho ninguém fazia o mesmo, por isso assustou-se quando viu alguém postado na janela do apartamento nivelado ao seu.

II.

O homem segurava uma rosa de pétalas negras como uma noite sem luar. 

Seu rosto estava oculto na penumbra e mesmo assim ela sabia que ele a observava. O estranho ficou lá, imóvel, até acenar.

III.

Fingindo não o observar ela deu-lhe as costas e foi até a cozinha deixar sua xícara vazia.

Ao voltar para sala, olhou de relance para a janela, mas o homem havia sumido. Suspirou aliviada e atirou-se no sofá.

IV.

Sua noite seria tranquila como todas as outras não fosse o que a fez sufocar um grito na garganta.

V.

Sobre uma das almofadas jazia uma rosa de pétalas negras.