Logo do Planeta Roxo, clube do livro digital da BilbboLogo do Planeta Roxo, clube do livro digital da Bilbbo

Clube do livro digital de ficção científica e terror.

Logo do Planeta Roxo, clube do livro digital da BilbboLogo do Planeta Roxo, clube do livro digital da Bilbbo

Clube do livro digital de ficção científica e terror.

Romance
Drama
Clássicos
Steampunk
Cyberpunk
Terror
Afrofuturismo
Suspense
Crônica

Confira as leituras de

Fevereiro de 2021

A Máscara da Morte Vermelha

Clássico
Edgar Allan Poe

Fabrício Corradini

Tradução
Baixar
Download indisponível

Fazendo cada Segundo Contar

Conto
2020

P.H. Martinez

Autor
Autora
Autor e Organizador
Autora e Organizadora
PDF
ePub
Download indisponível

Há malabares que veem para o bem

Conto
2020

Nadezhda Bezerra

Autor
Autora
Autor e Organizador
Autora e Organizadora
PDF
ePub
Download indisponível
Sobre

O tempo pode estar contra você em muitos sentidos

Ponham suas máscaras que agora em fevereiro é época de carnaval, mas não celebre tão cedo, pois algumas dessas máscaras podem cair e não ser nem um pouco bom pra sua saúde.

Baixe os eBooks
Lanterneiro

Tudo sobre os Originais e sobre o Resgate desse mês.

Fique por dentro dos bastidores do clube.

Em breve o Lanterneiro Exclusivo desses mês estará disponível aqui para você.
Conheça outros episódios
Lanterneiro Exclusivo
Fevereiro de 2021
0:00
0:00
Conteúdo

Muito mais conteúdo sobre o Planeta Roxo de

Fevereiro de 2021

Aqui na Bilbbo, o hub da literatura nacional.

#piadaruim
#autoresnacionais
#clubedolivro
#editorasindependentes
#ficçãocientífica
#terror
Leitura gratuita

Já leu tudo? Continue lendo nossas publicações gratuitas.

Todo mês disponibilizamos quatro contos gratuitos de gêneros variados. Comece lendo os deste mês.

Para ler agora
ver mais
Minis para ler agora
ver mais
Lançamento
Golpe
Terror

I.

A mãe da minha esposa tinha morrido há uma semana quando recebi a ligação no celular:
— Estamos com a sua sogra.
— Devem ser no Inferno, porque a desgraçada morreu!

II.

Desliguei o telefone, puto com aquilo. Já não bastasse incomodar com um golpe bobo como aquele de sequestro, ainda usava uma falecida?
Você vai se arrepender, veio um SMS logo depois. O finalzinho do número era 666. Ignorei aquilo, claro.

III.

Hoje, cinco anos depois que meu casamento acabou, ainda sou assombrado pelo fantasma da minha sogra. E, pelo que soube, não existe um até que a morte os separe para isso.

IV.

V.

Fuga
Drama

I.

Embolar as roupas, enfiá-las na mala, apenas o essencial, sim, o suficiente para viver só, apartado de qualquer opressão, o necessário para dias de frio e calor, uma bebida quente para atravessar a modorra, um livro para atiçar o tédio, de preferência com figuras, pois ainda não lê bem, mas decidiu-se; quer fazer aquilo que lhe apeteça.

II.

Ora, a vida é pra ser vivida, desfrutada já que finita!

Contra a mutilação dos instintos protestava planejando fuga, criança dona do próprio nariz, assim se via até a mãe, batendo pé sob o beiral, braços em xícara, exclamar indiferente a pena daquela partida, pois jazia no forno um bolo.

III.

Desconfiou o blefe, não nascera ontem, mas é inconfundível o cheiro de açúcar queimado com canela.

Tá bom mãe, amanhã eu fujo pra valer.

IV.

V.

Q.I.
Sci-Fi

I.

– 118!

– Isso é fichinha, contramestre! Este barco tem QI acima de 130.

– E tu, marujo, qual o teu QI?

– Não quero te dizer o meu.
O moço de convés tinha vergonha do QI abaixo da média.

II.

O navio E=MC2 era o primeiro barco comandado pelo aprendizado profundo das máquinas.

O moço do convés ficava intrigado. E se aquele monstro que se movia a 50 nós por hora tivesse algum devaneio cibernético?

III.

Ao limpar os instrumentos, notou uma silhueta na tela. Parecia ser um grande navio se aproximando.

Indiferente, o E=MC2 seguia seu rumo.
O marujo pensou: “Isto não deve estar correto!”

IV.

Temendo o pior, relatou sua desconfiança ao comandante.

O experiente navegador pegou seu binóculo. Logo adiante uma nau se aproximava rapidamente.

Era outro navio inteligente.
A rebelião das máquinas começou pelo mar.

V.