Rodolfo

Maldito seja o dia que viemos à luz! Como a Natureza toma a decisão de mudar as coisas sem nos consultar?

Agora tentamos sobreviver às chacoalhadas do chão, aos rasantes dos alados famintos, aos alimentos tóxicos e à falta de espaço para morar.

Desde o início da catástrofe, os Titãs aproximam seus enormes olhos perto de nosso buraco e dizem:

— Pobre animal, estava sendo comido vivo! Preconceituosos! Porque criticam nosso modo de vida? Não têm moral para nos julgar!

Termino este memento quase sem forças, ouvindo um latido irritante e o trovão de um Titã:

— Você está sarando, amigo. Por pouco estas larvas não lhe devoram.

Maldito Rodolfo. Nossa nobre mãe varejeira não deveria ter escolhido como hospedeiro um vira-latas sortudo.