Balé

Passo entre carros em um balé improvisado. Não tenho medo que me atropelem, isso seria até um favor. Talvez um favor à eles mesmos.

Desvio de um carro aqui e acolá, escuto uma buzinada seguida de um xingamento. Meu único pé de tênis está quente em contato com o asfalto. Chego ao outro lado da avenida e me sento na calçada, contemplando o movimento de vai e vem dos carros e sua sinfonia de motores e buzinas.

Respiro fundo e sorrio, afinal, será mais um dia para se batalhar por um espaço em meio a todos