Ao Dormir

Quando eu me mudei para meu novo apartamento, na mesma noite, acordei com algo se arrastando pelo corredor.

Na porta do quarto, surgiu um ser grande e curvo, mais escuro que

o próprio escuro. Do seu rosto, só vi

seus olhos vermelhos.

Isso durou algum tempo, até o dia

que chamei-o para dormir comigo.

Loucura, né? Eu sei.

Foi incrível ver aquela forma assustadora virar um homem triste e cansado. 

Dormíamos de conchinha até o dia em que desapareceu, e foi exatamente no dia em que arranjei um emprego, e assinei meu divórcio.

Aquele ser era o meu demônio interno. Aquele homem triste era eu.

Conclusão, meu caro amigo:

Os problemas podem ficar desproporcionais, assustadores, e deixá-lo insone, mas não são eternos. Leve-os pra cama se quiser. Enfrente-os!

Se eles são você em algum momento, logo serão apenas uma fase que ficou para trás.