Publicações independentes de autores nacionais.

Aqui na Bilbbo.

Mini Contos
Contos Originais
Mini contos de
Sci-Fi
Café
Sci-Fi

I.

Chegou na calçada, me olhou, entregou a carta e saiu cantarolando, correndo pela rua. A menina parecia assustada.

Bem, quem é que entrega cartas hoje em dia? Abri o envelope.

II.

As letras mais bizarras que eu já vi... Pareciam códigos de computador, escritos com uma tinta escura e mal cheirosa.

Lembrei da água no fogo, voltei às pressas pra passar o café. Terminando, sentei no sofá e adormeci.

III.

A campainha tocou, me acordando. Tive que atender uma menina estranha no portão.

Abri a porta. Vento gelado e silêncio total. A criança me entregou um envelope e saiu.

IV.

Abri e li: "você está preso num loop".

Criança louca...Dei risada, voltei pra dentro pra terminar de passar o café...

V.

Rato
Sci-Fi

I.

H era um bom humano. Trazia comida, era obediente e ficava no melhor lugar da cidade: em frente ao LABX. Aos transeuntes, falava:

- Só meu amigão fala comigo! Né, amigão? – e dá-lhe cafuné.

II.

Rancor era um cão normal quando chegou ao LABX. Foi só depois de anos sendo picado, cortado e remontado que aconteceu: ele começou a pensar.

Nesse tempo todo, Dr. Vix conduzindo a tortura. Rancor reconheceria seu fedor em qualquer lugar.

III.

Rancor fugiu e Dr. Vix percebeu que seus testes funcionaram e que uma arma letal em forma de cão estava à solta pela cidade. E Rancor começou sua vingança.

Como sempre, seguiu-o ao sair do prédio. Dr. Vix virou-se. Rancor ficou invisível e rosnou. Adorou o pânico no olhar do doutor. Um dia, ia mata-lo.

IV.

Mas antes, brincar.

- E aí amigão, pegou o rato?

- Quase, H. Vamos comer?

V.

Hipersônica
Sci-Fi

I.

Rancor estava nervoso. Ele corria pela movimentada avenida enquanto o sol refletia em seu pelo alaranjado.  

O foco estava todo na busca de seu amor.

II.

Seus rosnados não haviam sido efetivos como ele esperava, e agora, enquanto sua desengonçada língua rosa tremulava fora de sua boca, ele se perguntava por que raios sua intimidação nunca obtinha um resultado que não os irritantes e tediosos sorrisos fofos.

III.

Seja lá o que fosse, não importava agora, ele estava a centímetros dela.  

Logo sua deslumbrante bolinha de borracha hipersônica estaria em sua mandíbula.

IV.

V.

Simbiose
Sci-Fi

I.

Há 70 anos, os humanos aprenderam o que nós, cachorros, sempre soubemos: nunca confie no mensageiro.

Inicialmente o governo abafou o contato, então a invasão começou silenciosa.

II.

A oferta era de paz, mas o plano: assimilação. Quando os aliens terminavam, ninguém podia dizer a diferença.

Ninguém além de nós.

III.

Então o soro K11 foi feito. Super cães que podiam farejar e eliminar “os outros”.

Ao meu lado, Eva rosnou. As ruas fediam, mas eles fediam mais.

-Estão vindo, Rancor.

IV.

Atacamos e minha prótese pesada era uma arma letal. Passei as rodas por cima dos cadáveres e lambi o sangue do rosto machucado da minha amiga.

A luz o refletia azul.

V.

Ela correspondeu o gesto e seus olhos mostraram o mesmo brilho forasteiro.

“O melhor amigo do homem, também seu salvador” haviam dito.

E como sempre, os humanos estavam errados.

Tempo
Sci-Fi

I.

“O tempo é uma ferramenta que foi criada para controlar as nossas vidas”.

Não me lembro quem me disse isso quando eu era garoto, mas essa visão do tempo me perturbou e me instigou por toda a vida.

II.

Quanto tempo temos?
Porque temos que nos curvar a ele?
E se pudéssemos caminhar por ele?
O que daríamos em troca?

Não me lembro em que momento os primeiros começaram a manipular seu próprio tempo, passado e futuro, pagando a ele com suas próprias vidas.

III.

Eu apenas entendi a teoria das cordas, e aprendi a vibrar em outras frequências, e assim, viver entre momentos.

Eu venci o tempo.
Enganei o tempo.
Paguei ele com vidas de outros.

IV.

Ele deixou de se importar comigo.

Estou assim há eras, tudo já se extinguiu no universo, só restou a escuridão e o silêncio. Não estou vivo e nem morto, apenas sou.

V.

Me tornei prisioneiro do que sempre fugi, no final ele me enganou, e me aprisionou nesse momento infinito.

Devia tê-lo tratado com o devido respeito.

Testemunha
Sci-Fi

I.

Foi em um encontro na Lapa, quando Marcos nos chamou para revelar sua ausência nos últimos sete anos.

- Sei que é difícil de acreditar, mas há sete anos, fui abduzido. Há alienígenas entre nós!

II.

Todos riram, como era de se esperar. Ele tentou nos mostrar as filmagens em seu celular, mas ninguém deu muita bola.

Marcos parecia estar mais nervoso do que antes.

III.

Rafael, tocou seu ombro para acalmá-lo, mas isso pareceu incomodá-lo ao ponto de sacar uma arma, apontar e ….

IV.

Tudo acontece rápido demais. Até onde a paranoia pode levar o ser humano? O que aconteceu de verdade com Marcos para chegar a esse ponto?

Volto minha atenção para Rafael, seu corpo estirado na calçada, escorrendo sangue verde e sua fisionomia se tornando lentamente menos humana.

V.

Q.I.
Sci-Fi

I.

– 118!

– Isso é fichinha, contramestre! Este barco tem QI acima de 130.

– E tu, marujo, qual o teu QI?

– Não quero te dizer o meu.
O moço de convés tinha vergonha do QI abaixo da média.

II.

O navio E=MC2 era o primeiro barco comandado pelo aprendizado profundo das máquinas.

O moço do convés ficava intrigado. E se aquele monstro que se movia a 50 nós por hora tivesse algum devaneio cibernético?

III.

Ao limpar os instrumentos, notou uma silhueta na tela. Parecia ser um grande navio se aproximando.

Indiferente, o E=MC2 seguia seu rumo.
O marujo pensou: “Isto não deve estar correto!”

IV.

Temendo o pior, relatou sua desconfiança ao comandante.

O experiente navegador pegou seu binóculo. Logo adiante uma nau se aproximava rapidamente.

Era outro navio inteligente.
A rebelião das máquinas começou pelo mar.

V.

Hacker
Sci-Fi

I.

As lojas fechadas, shopping centers trancados, ruas vazias.

Este era o cenário perfeito para mim: hackear empresas e sites e lucrar com isto.

II.

Fui rapidamente para meu computador, liguei ele e logo comecei a pesquisar por onde iria começar.

Muitas solicitações, muita demanda, entre elas, um e-mail sem assunto.

III.

Decidi abrir, afinal um hacker não pode ser hackeado e imediatamente minha tela piscou e tudo desapareceu.

Uma imagem surgiu na tela instantes depois: Você foi hackeado por COVID-19.

IV.

V.

Urbanos
Sci-Fi

I.

Em dias de tempestade, raios e trovões, um grupo estranho pega seu barco e navega silencioso pelos esgotos mal cheirosos.

Chegam aos canais, alcançam as valas e ganham as ruas. Com o auxílio da noite, camuflados por suas enormes capas, diluem-se em meio a tantos rostos estranhos que enfrentam o mau tempo.

II.

Ninguém se olha. Ninguém percebe os olhos amarelos. Pobres humanos, nem deram conta do que os atingiu.

Arrastados para os bueiros são devorados nas obscuras galerias de um metrô abandonado. Seus gritos são abafados pelo barulho ensurdecedor da passagem do trem sobre os trilhos.

III.

Assim os homens crocodilo alvejam os incautos pelas ruas desertas e limpam os rastros com seus enormes rabos esverdeados.

IV.

Na próxima tormenta fiquem espertos. Não saiam sozinhos. Desconfiem dos enormes sobretudos.

V.

Aliens
Sci-Fi

I.

Quando as primeiras naves apareceram nos céus todos entraram em pânico.

Nossas defesas estavam preparadas para reprimir qualquer tentativa de invasão.

Mas os aliens entraram em contato antes de avançarmos sobre eles.

II.

- Viemos em paz!

- Trouxemos presentes!  

Quando menos esperávamos, atacaram covardemente.

Por muito pouco não fomos exterminados.

III.

Nosso serviço de inteligência capturou alguns aliens vivos e descobrimos o seu planeta de origem.

Não deixaremos que invadam nosso planeta novamente, agora é nossa vez de visitar a casa deles, hoje a noite, atacaremos o Planeta Terra.

IV.

V.

40/40
Sci-Fi

I.

Em 2119 alcançamos o ápice tecnológico, mas milhões morrem sem água. Cientistas buscam transformar água

do mar em chuva.

- Vou explicar uma última vez, jogamos o Dobrador de Portais Quântico no mar, ele cria uma fresta no espaço tempo sugando e evaporando a água salgada.

II.

A fresta reabre a 2km de altura, libera o vapor sugado e cria a maior nuvem de chuva vista.

- Mas você falou em alguns

imprevistos nos testes?

III.

- O teste do copo d’água funcionou, só erramos os cálculos, a fresta apareceu horas antes do teste ter início, o estagiário já corrigiu os cálculos. Lance logo o DPQ no mar.

- DPQ lançado.

IV.

O DPQ toca o solo, uma fresta suga e evapora quilômetros de água, a 2km de altura a fresta libera o vapor, nasce uma tempestade. O lugar está certo o tempo errado... chove 40 dias e 40 noites.

V.

Looping
Sci-Fi

I.

Seus olhos são como a Lua Cheia. Poderia ficar em looping, só para vê-la mais uma vez?Ela é Mariana, e de todos os caras no mundo, escolheu a mim.Não preciso dizer o quanto ela é bonita!

II.

No quinto encontro, ela me disse: -Será que podemos ir pra um lugar só eu e você? Demorou pra minha ficha cair, mas sem pensar muito, entramos no carro.Não faço ideia de onde levá-la. Espero que ela não perceba; porque nela só vejo confiança!

III.

Seu perfume me deixa atordoado.No seu decote uma renda rosa se insinua e engulo seco.Depois de hoje direi que a amo, antes que algo aconteça (ou que ela mude de ideia).

IV.

-Felipeeee!-ela grita. Um carro entra em cheio na minha porta. Sinto minhas costelas esmagadas. Que pena, Mariana! Nosso plano não deu certo. E agora, preciso partir.

V.

Seus olhos são como a Lua Cheia. Poderia ficar em looping, só para vê-la mais uma vez?Ela é Mariana, e de todos os caras no mundo, escolheu a mim.

Humanidade
Sci-Fi

I.

"Abri os olhos e notei um lugar estranho, um mundo totalmente diferente. O ar era rarefeito que mal consegui respirar, e o sol no alto do céu já não era tão quente.

II.

Por falar em quente, os humanos que ali caminhavam nem pareciam gente. Na verdade, nem pareciam estar vivos. Sentimentos, ações, pensamentos... Eram feitos por aplicativos.

III.

O ser humano se tornou finalmente um robô. Sem vida. Sem alma. Um objeto material. A tristeza era presente em cada canto de esquina e a alegria era uma droga fatal.

IV.

O caminho por onde sigo começa a ficar escuro e desperto do meu sono. Não sei se isso foi um sonho ou se isso será o nosso futuro."

V.

O Sol
Sci-Fi

I.

"Mais uma vez o sol aparece para iluminar a terra. Sua luz atravessa
o espaço e nos guia em mais um dia, em mais uma rotina. Metrô completamente lotado, ônibus tombado, trânsito
em todas as avenidas.

II.

Esta mesma luz ilumina o caminho até o trabalho, e revela seu chefe estressado, pessoas com mau humor e mais trabalho.

Na hora do almoço? A luminância mostra o seu lanche rápido, seu fast food e sua dieta indo por água abaixo.

III.

De repente, mortes, estupros, roubos
em plena luz do dia. Ao entardecer, mais brutalidade, assassinatos, sequestros e omissão. A humanidade faz tudo nos holofotes do grande astro Sol.

IV.

Tenho pena do Sol e digo mais, se eu fosse ele, não voltaria nunca mais para iluminar a humanidade."

V.

Farsa
Sci-Fi

I.

Sempre imaginei que em algum lugar, eu seria uma pessoa diferente.
Boa vida, uma casa grande, família de comercial de margarina, tudo aquilo que muita gente batalha a vida inteira para ter.

II.

Não imaginava que, quando conseguisse encontrar esse outro lugar e essa outra vida, a pessoa que ocupava a minha existência seria tudo aquilo que não suportava ver.

III.

IV.

V.

A Troca
Sci-Fi

I.

Não me lembro muito bem como isso tudo começou, mas sinto que tem algo a ver com a chuva. Sempre que me pego nesta situação, por mais desagradável que ela seja, está chovendo.
Sinto os pingos caírem suavemente pelo meu rosto e tombo a cabeça para trás, recobrando meus sentidos um a um.

II.

Primeiro o tato, depois sinto o sabor da chuva, misturado a um outro, um pouco ferroso em minha boca. Depois escuto a chuva caindo, e batendo em um corpo que não é o meu. Por fim, abro meus olhos, esperando encontrar uma grande nuvem cinza. No momento que abro os olhos, desejo fecha-los, e apago no lugar onde estou.

III.

Não me lembro muito bem como isso tudo começou, mas sinto que tem algo a ver com a chuva. Sempre que me pego nesta situação, por mais desagradável que ela seja, está chovendo.

IV.

V.

Impostores
Sci-Fi

I.

Olhar para aquelas versões, os "impostores", era como mudar de canal de TV, e ver a mim mesmo atuando em diversos papeis, desempenhando diversas funções.

II.

O fato de ser e não ser a mesma pessoa me incomodava, e me questionava quem, além de mim, notaria a diferença.  Eu tinha o controle desses canais, disso eu tinha plena certeza.

III.

Restava-me saber como mexer no "roteiro" desses canais.

IV.

V.

O Levantar
Sci-Fi

I.

É muito difícil descrever em palavras o que eu vi. Conforme seu corpo, ou melhor, sua forma se levantava, tudo ao redor foi sumindo, como se aquela existência ocupasse toda a importância de meus olhos. Pensei em levar as mãos aos olhos e cobri-los, mas algo me dizia que o ato seria inútil.

II.

A cena já estava tatuada em minha mente, e nunca mais serei capaz de apagá-la. Aquela visão me trouxe até aqui, Doutor.

Espero que suas ferramentas e conhecimentos sejam capazes de remover essas loucuras de minha cabeça.

III.

IV.

V.

Droid
Sci-Fi

I.

Sempre fui a unidade LFU3 desta tripulação, simples e com apenas 5 formas de vida compondo-a. Meu trabalho resume-se em, sempre que pousamos em um novo planeta, encontrar formas de vida.

II.

Esta era a minha programação primaria. Uma pena que o engenheiro tenha retirado a atualização de alerta a vidas hostis.

III.

IV.

V.

Contos de
Sci-Fi
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

Fi
Fi
Ícone de visualização
leia →
Conquistas Literárias, o evento de premiações para a literatura nacional e independente da Bilbbo.
Conquistas
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

Moloch
Moloch
Ícone de visualização
leia →
Conquistas Literárias, o evento de premiações para a literatura nacional e independente da Bilbbo.
Conquistas
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

NIVHIUN
NIVHIUN
Ícone de visualização
leia →
Conquistas Literárias, o evento de premiações para a literatura nacional e independente da Bilbbo.
Conquistas
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

F-7 e S.I.
F-7 e S.I.
Ícone de visualização
leia →
Conquistas Literárias, o evento de premiações para a literatura nacional e independente da Bilbbo.
Conquistas
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

O Jardim
O Jardim
Ícone de visualização
leia →
Conquistas Literárias, o evento de premiações para a literatura nacional e independente da Bilbbo.
Conquistas
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

Memórias
Memórias
Ícone de visualização
leia →
Conquistas Literárias, o evento de premiações para a literatura nacional e independente da Bilbbo.
Conquistas
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

Nervos
Nervos
Ícone de visualização
leia →
Conquistas Literárias, o evento de premiações para a literatura nacional e independente da Bilbbo.
Conquistas
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

Futuro
Futuro
Ícone de visualização
leia →
Conquistas Literárias, o evento de premiações para a literatura nacional e independente da Bilbbo.
Conquistas
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

Rona
Rona
Ícone de visualização
leia →
Conquistas Literárias, o evento de premiações para a literatura nacional e independente da Bilbbo.
Conquistas
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

Devorador
Devorador
Ícone de visualização
leia →
Conquistas Literárias, o evento de premiações para a literatura nacional e independente da Bilbbo.
Conquistas
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

A Fuga
A Fuga
Ícone de visualização
leia →
Conquistas Literárias, o evento de premiações para a literatura nacional e independente da Bilbbo.
Conquistas
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

Vermelho
Vermelho
Ícone de visualização
leia →
Conquistas Literárias, o evento de premiações para a literatura nacional e independente da Bilbbo.
Conquistas
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

Cansaço
Cansaço
Ícone de visualização
leia →
Conquistas Literárias, o evento de premiações para a literatura nacional e independente da Bilbbo.
Conquistas
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

2337
2337
Ícone de visualização
leia →
Conquistas Literárias, o evento de premiações para a literatura nacional e independente da Bilbbo.
Conquistas
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

Ônibus
Ônibus
Ícone de visualização
leia →
Conquistas Literárias, o evento de premiações para a literatura nacional e independente da Bilbbo.
Conquistas
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

Ritual
Ritual
Ícone de visualização
leia →
Conquistas Literárias, o evento de premiações para a literatura nacional e independente da Bilbbo.
Conquistas
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

Panthogar
Panthogar
Ícone de visualização
leia →
Conquistas Literárias, o evento de premiações para a literatura nacional e independente da Bilbbo.
Conquistas
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

Sem sinal
Sem sinal
Ícone de visualização
leia →
Conquistas Literárias, o evento de premiações para a literatura nacional e independente da Bilbbo.
Conquistas