Neblina

Terror
Outubro de 2019
Começou, agora termina queride!

Conquista Literária
Conto publicado em
O Culto

Prólogo

Epílogo

Conto

Áudio drama
Neblina
0:00
0:00

Mais um dia longo de trabalho. Era apenas a isso que minha vida pacata se resumia. Acordar, trabalhar, dormir. Esse ciclo vicioso se repetia. Não via propósito de existência para minha insignificante vida aos finais de semana, onde apenas vegetava em meu lar, sem interesse em absolutamente nada. Nem mesmo as estantes de livros, outrora convidativas me despertavam o interesse.

O Big Ben já soava sua nona badalada, me lembrando que, em poucos minutos, chegaria em casa para repousar. Passando por diversas construções do centro londrino, reparei em uma curiosa parede, cheia de posteres, todos falando sobre a Grande Depressão que assolava o mundo. Mas em meio a tantos cartazes, um me chamou a atenção. Destoando de tudo ali, um simples pedaço de papel, com letras cursivas bem trabalhadas, claramente feito a mão, atraia meus olhos. Li palavras que até o momento, não consigo pronunciar. Palavras que não faziam sentido aos meus olhos, mas que me causaram tremendo temor. A névoa que começava a cobrir a rua, trazia sussurros ao pé do meu ouvido. O pedaço de papel parecia me convidar e, quando dei por mim, estava parado no meio da rua.

Uma densa neblina me impedia de saber onde eu estava. Escutei as badaladas do Big Ben novamente, marcando a meia noite, e respirei confuso, porém aliviado. Foi quando, após a decima segunda badalada, escutei um som rastejante, vindo da neblina.

Prólogo

Epílogo

Conto

Mais um dia longo de trabalho. Era apenas a isso que minha vida pacata se resumia. Acordar, trabalhar, dormir. Esse ciclo vicioso se repetia. Não via propósito de existência para minha insignificante vida aos finais de semana, onde apenas vegetava em meu lar, sem interesse em absolutamente nada. Nem mesmo as estantes de livros, outrora convidativas me despertavam o interesse.

O Big Ben já soava sua nona badalada, me lembrando que, em poucos minutos, chegaria em casa para repousar. Passando por diversas construções do centro londrino, reparei em uma curiosa parede, cheia de posteres, todos falando sobre a Grande Depressão que assolava o mundo. Mas em meio a tantos cartazes, um me chamou a atenção. Destoando de tudo ali, um simples pedaço de papel, com letras cursivas bem trabalhadas, claramente feito a mão, atraia meus olhos. Li palavras que até o momento, não consigo pronunciar. Palavras que não faziam sentido aos meus olhos, mas que me causaram tremendo temor. A névoa que começava a cobrir a rua, trazia sussurros ao pé do meu ouvido. O pedaço de papel parecia me convidar e, quando dei por mim, estava parado no meio da rua.

Uma densa neblina me impedia de saber onde eu estava. Escutei as badaladas do Big Ben novamente, marcando a meia noite, e respirei confuso, porém aliviado. Foi quando, após a decima segunda badalada, escutei um som rastejante, vindo da neblina.

Para continuar lendo
Clube do Livro

Quer ler esse conto?

Vem fazer parte do Planeta Roxo, nosso clube do livro de terror e ficção científica. Dois contos originais e um clássico todos os meses.

Ambiente de leitura
Claro
Cinza
Sépia
Escuro
-T
Tamanho de Fonte
+T
Ícone de DownloadÍcone de formato de leitura
Ambiente de Leitura
Voltar ao topo

O hub de Literatura Nacional mais legal da internet. Explore o desconhecido e descubra o inimaginável.

Logo do Planeta Roxo, clube do livro digital da Bilbbo

Clube do Livro digital da Bilbbo. Todo mês novos envios para le.

Entre no clube
Logo Viralume, frente de conteúdo sobre o mercado literário da Bilbbo.

Frente de conteúdo da Bilbbo sobre Literatura.

Ouça
Logo Mini, publicações curtas da Bilbbo.

Mini Contos da Bilbbo que que de pequenas não possuem nada.

Leia agora