Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

Doce Vampiresca
leia →
Conquistas
Doce Vampiresca
Áudio drama
Doce Vampiresca
0:00
0:00
Estamos preparando e revisando este conto, em breve o publicaremos aqui. :D

Névoa clara e gélida que corta o corpo como navalhas em garoa. No tempestuoso

momento por essa estrada não caminho à toa.

Na treva sombria um corvo negro me guia, coração arranhado pela impureza

do amor e a triste desilusão.

Caminhando como Adão, até o linear da escuridão. Dos ossos ao pó e das

cinzas ao fogo, a impiedade neutraliza o meu ego.

A maçã que levaste ao pecado não declina apenas minha alma ao relicário, a

mordida da tentação é traiçoeira assim como o prazer da carne passageira.

Seu instinto voraz que acerca o meu pescoço, “doce vampiresca”, talvez meu

alento não a apeteça. Tão obscuro quanto um poço, cega meus olhos e esgarça nas

rochas em volta o meu sangue.

Sedutora vampiresca, meu sangue não é o vinho que delicia sua sede e a chama

de minha aura não é a luz do seu submundo.

Vampiresca, mesmo com a pele seca o meu sangue a alimenta, não deixe

pingar sequer uma gota destes dentes, ao roubar-lhe um beijo quero de volta minha

essência. Manjar manchado que derrama sobre sua saliência, me poupe da luxúria

pecaminosa que incendeia minha veemência.

Não fraquejo diante da morte, sou um velho conhecido do barqueiro Caronte.

Se este meu sangue não for capaz de saciá-la, talvez o amor que nutre nas minhas

veias a façam se apaixonar. No caminho dos ímpios é inquestionável a avareza, mas

é indubitável a certeza de que a dor em seus braços me satisfaz.

Hades não condene minha alma, a linda vampiresca me acalma, estava na

boate quando me tornei a presa para o abate, sedução disfarçada de sensualidade

sepultaram minha razão com ociosidade, na penumbra da espelunca o seu vulto me

persegue, assim como seu cheiro que me atiça ao desejá-la.

Acalma-te, não me venha com este sorriso rasgado, jaz sua língua em sangue

injustiçado inundada, apara-te as unhas. O calafrio lascivo e corpóreo me leva ao

purgatório. Lamento “vampiresca” o amor doentio que sinto, enquanto suga minha

esperança em desalento.

Seus braços são um açoite em ranhura delicado, talvez este coração pulse

apaixonado, dama da noite e princesa da escuridão me transporte ao outro lado e que

o chicote da justiça me absolvam deste pecado.

Leve-me ao seu submundo, mesmo lá onde o sol não paira te darei os campos

Elíseos. Minha bela vampiresca sua sina é de uma audaciosa menina, diante dos

trechos em chamas que ardem e queimam os meus ossos, flagelam incessantemente

as minhas entranhas.

Vampiresca pode chamar de inferno ou reino dos mortos, mas na terra contigo

é o meu lugar. Quando a viste nesta boate dançar, não imaginava que o meu

coração conseguiste arrebatar. Sua dança sensual que vieste o meu “Eu” a hipnotizar,

não se conteve diante da beleza áspera e sofredora ao me mordiscar.

Véu da lua ensanguentado míngue pela estrela ao seu lado, como levarei luz a

um lugar malfadado. Belíssima vampiresca não julgue minha alma e não leve minha

vida dentre os lábios, mesmo entre os sábios o amor não existe lógica ou explicação,

aprecie esta súplica até quando meu espírito partir.

Poupe minha vida, já vi diante dos teus olhos negros as portas do além, apesar

de sombrio ainda assim é mágico, quem dera foste alucinação, me entregar a esta

paixão fúnebre que me acalanta em um réquiem de cordas. Cesse a harpa melodioso

Orfeu, não emita o som da enganosa ilusão, pois ainda meu corpo não pereceu.

Veja a neve lá fora congelaste, assim como o teu semblante que desapareceste.

Faça-me um sepulcro de gelo, contemple minha existência por toda a sua imortalidade.

Neste gelo que espelha em sua alma, não desanime, mesmo entre os esquecidos

a redenção é possível.

Devoradora vampiresca, como se não bastasse o sangue sugaste a trova da alvorada,

não impeça os anjos querubins de cortejá-la, mesmo na sombra existe beleza.

Leve-me contigo ou me esqueça, até que neste frio o meu corpo compadeça. Retire o

sabor de sangue em sua boca, deixe-me adoçá-la com esses sentimentos, no labirinto

promíscuo a pelugem da noite ma acoberta.

Debruce sobre mim, não se desprenda, fique comigo, a eternidade é uma

criança assustada sem morada, de pesadelo ao sonho, afinal o que seria tudo isso.

Acorde meu querido Adão, sofreste uma alucinação. Impossível de acreditar tudo

parecia ser tão real igual ao seu rosto terno que vejo agora. Sorriste com delicadeza,

afastando-se com um riso e dentes afiados e avermelhados. Não foi um pesadelo de

amor, tão pouco um sonho de transcendência, obscureceu o tempo e linha tênue da

vida profanou.

Vampiresca, se por um vislumbre a eternidade a trouxeste, todo o sangue que

corre em minhas artérias o teria eternamente. Não quero a luz do mundo, mas sim

ao sombrio e estanho mundo no qual você me baniu, pois visceral é o amor que sinto

por você. Se não for para sempre, que seja por algumas horas, que este sangue em

meu coração possa bombear até a última gota capaz de lhe saciar.

Próximos contos

Próximos capítulos

Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

Sem controle
leia →
Conquistas
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

Vermelho
leia →
Conquistas
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

Moloch
leia →
Conquistas
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

Receita (de amor)
leia →
Conquistas
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

Às moscas
leia →
Conquistas
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

A Subida
leia →
Conquistas
Sobre

Os contos que mais arrancaram suspiros de nossos leitores.

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

Casamento no parquinho
leia →
Conquistas
Que fofinho
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

Postagem Anônima
leia →
Conquistas
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

Enigma de um dia
leia →
Conquistas
Sobre

Melhor representação da proposta Bilbbo: A Rua Ímpar e a Rua Par.

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

Oguh
leia →
Conquistas
Par ou Ímpar
Ambiente de leitura
Light
Grey
Sepia
Dark
-T
Tamanho de Fonte
+T