Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

Ano 0: A Origem
leia →
Conquistas
Ano 0: A Origem
Áudio drama
Ano 0: A Origem
0:00
0:00
Estamos preparando e revisando este conto, em breve o publicaremos aqui. :D

Em Yaochi existia a montanha Kunlun, denominada como A Morada dos Deuses. Como o próprio nome sugere lá os Deuses caminhavam livremente, conversavam entre si e tinham suas respectivas moradias.

Xi Wangmu, conhecida como a Rainha Mãe, era a responsável pelo bem e harmonia entre todos os Deuses, já que ela, também como uma Deusa, era responsável por manter a paz entre eles. Seu título era justamente devido a sua figura materna para com todos os Deuses. 

Apesar de ser um lugar especialmente das Divindades, alguns humanos viviam em Yaochi. Eram como servos para os Deuses e principalmente eram tratados assim. Esses humanos jamais iriam conhecer novamente outras pessoas, já que era uma provação conviver com os Deuses, lado a lado. 

A mãe de toda a humanidade era Nu Kua, ela também era uma figura materna, mas apenas para os humanos, o que deixava Xi Wangmu um pouco mais focada nos próprios Deuses. 

As aparências deles eram de pessoas comuns. Os Deuses Antigos tinham a aparência mais velha, já os Novos Deuses tinham a aparência mais jovial, embora quando eles fossem ao mundo humano, eles tomavam várias formas para disfarçar. 

Yue Lao era um dos Novos Deuses, sua aparência jovial lembrava a de um jovem guerreiro. Ele era responsável por ser o Deus do amor e do bom casamento. Sua função era unir os humanos com um laço invisível aos olhos deles e guiá-los para o caminho do amor verdadeiro. Porém, parecia estar um pouco cansado desse seu destino e resolveu ter uma conversa com a Rainha Mãe, dentro de seu palácio em Yaochi. 

Apesar de viverem em uma montanha muito alta e praticamente inabitável para humanos comuns, o palácio dos Deuses era todo feito do mais puro ouro. Seus móveis, suas decorações eram tão perfeitas e brilhantes quanto o próprio Sol. 

Yue Lao adentrava o palácio, passava pelo corredor principal que levava até a sala onde normalmente Xi Wangmu estava. A Deusa passava horas e horas tecendo roupas para os Deuses, como uma forma de agradá-los e também manter a figura materna para eles. 

- Yue Lao. – Disse ela. Estava de costas para a porta principal enquanto tecia com os dedos uma linda túnica feita com cores vivas. – Se você veio até aqui é porque você não está contente com algo. 

- Não é bem assim também, Mãe. – Comentou o Deus, apesar de toda a simplicidade de Wangmu, ele mantinha as tradições de tratar seus superiores com respeito. – Mas eu preciso conversar. 

- Pois então se sente meu filho. – Ela rapidamente fez desaparecer toda a tecelagem que fazia e se concentrou em ouvir seu filho. – O que o incomoda?

- Os humanos. – Respondeu ele cabisbaixo. – Os humanos me incomodam. 

- Por que Yue Lao? Por que os humanos lhe incomodam tanto? – Ela pareceu achar engraçado o que ele havia dito. 

- É estranho o quanto eles não entendem. – Ele começou a falar se sentou neste instante e ficou de frente para com Wangmu. Sua voz era calma e delicada. – Muitas vezes eles se distanciam do verdadeiro destino deles, o destino bom e agradável, eu como Deus faço meu papel, mas alguns ainda assim insistem em não seguir o fio que coloco neles. 

- Se acalme Yue Lao. – Disse a Mãe. – Os humanos são seres imperfeitos se comparados à nós, porém, eles tem o livre-arbítrio de escolher o que quiserem escolher, por isso, são humanos. Se você os orientou, você fez o seu papel como Deus. 

- Eu entendo minha Mãe. – Ele não olhava diretamente nos olhos de Wangmu. – Mas eu acabo sentindo pena. 

- Sentindo pena por quem? – A Deusa levantou o cenho assustada. 

- Dos humanos.

- Esqueça imediatamente isso, Yue Lao. – A Mãe ergueu seu tom de voz, parecia dar uma bronca no Novo Deus. – Não se esqueça de quem você é! Ou melhor, do que você é! Você é um Deus, precisa honrar seu lugar no paraíso e honrar a vida que o nosso pai Pan Ku nos deu. Os humanos são humanos, nós somos Deuses! Nosso destino já está definido.

“Quem definiu isso?” Yue Lao se questionava enquanto fazia um gesto de confirmação para a Deusa que tinha entendido. 

Ele rapidamente sai do palácio e se direciona até o precipício de Yaochi. Lá de cima ele conseguia olhar melhor o mundo humano e também poderia verificar as ligações entre seus fios e como os humanos estavam se portando. 

Como ele já havia dito, alguns humanos se distanciavam do verdadeiro caminho da felicidade amorosa. Apesar do fio estar conectado diretamente à uma pessoa, eles não viam este fio e nem sequer procuravam entender o motivo por trás disso. Yue Lao se sentia incapaz e por isso ficava cada vez mais entristecido com a humanidade. 

Enquanto o jovem Deus observava a humanidade fazendo coisas erradas ao seu ver, um outro Deus surgiu para conversar com ele. Este era Yu Huang, o ser divino mais importante, já que ele tinha o controle da terra, do céu e além do céu. 

- O que faz aqui, Yue Lao? – Yu Huang estava sempre vestido com um manto dourado com pedras em jade nas pontas. Seu manto cobria seu corpo todo, por isso ele era conhecido como o Imperador Jade. Sua aparência divina era como de um velho sábio, sua barba não era tão longa e seu cabelo também não. 

- Estou observando os humanos e como eles são meu senhor. – Yue Lao se ajoelhou rapidamente na presença do Deus. 

- Entendo. – Respondeu Yu Huang um pouco seco. – Está novamente se questionando do seu destino? 

- Não, meu senhor! Estou apenas observando os humanos e tentando guiá-los no caminho do bom casamento. – Ele ainda se mantinha ajoelhado perante ao Deus Supremo.

- Já te falei mais de mil vezes, Yue Lao. – O Imperador Jade gargalhou. – Não há nada que você pense, sinta ou diga que eu não posso ouvir. Eu tenho controle sobre tudo, inclusive sobre todos os Deuses. – Ele apoiou sua mão nos ombros do jovem. – Se levante, deixe-me ensinar algo à você. 

- Sim, senhor! – De sobressalto Yue Lao se colocou em pé para ouvir o que Yu Huang tinha a dizer. 

- Apesar de nós sermos Deuses e sermos totalmente perfeitos, nós também temos direito ao que você aplica nos humanos, Yue Lao. – Ele disse olhando para os olhos do outro Deus.

- Não consegui compreender, meu senhor. O que quer dizer com isso? 

- Nós também podemos amar. – Disse Yu Huang com um sorriso em seu rosto. – Podemos amar quem nós quisermos. Este não é um sentimento apenas dos humanos, esse é um sentimento divino no qual podemos expressar da mais pura forma, assim como aqueles que você amarra com seu fio. 

- E como sei que estou amando? – O Deus levantou o cenho, achou aquela expressão um tanto quanto errada, mas decidiu se arriscar na conversa com seu superior. 

- Essa é a parte mais interessante do amor, Yue. – O homem tirou a mão dos ombros do rapaz e se virou de costas, aos poucos uma luz tão radiante quanto o sol surgiu ao seu redor e ele ia desaparecendo, soltando tais palavras. – Você não sabe, você apenas sente. 

Com a conversa do Imperador Jade e ainda mais com o estranho pensamento que estava para com os humanos. Yue Lao decidiu entrar ainda mais em seus pensamentos e tentar achar uma resposta. 

O tempo não significa nada para os seres divinos, então por uma década, Yue Lao meditou para tentar encontrar a resposta e não foi capaz. Nesta década de meditação os humanos não seguiram os fios que lhes interligavam à pessoa amada. O Deus teria um grande trabalho pela frente agora. 

Suas aparições no mundo humano eram repentinas e apenas aparecia para aqueles que estavam bem distantes do caminho da felicidade amorosa. A aparência que ele tomava no mundo humano era a de um velho com idade avançada, sua pele era frágil e franzida, barba totalmente branca assim como os cabelos. Suas roupas eram tralhas velhas e realmente se fazia como um mendigo, para não chamar a atenção dos humanos. 

Em uma noite clara e tranquila, a lua estava totalmente cheia e sua luminosidade era tamanha que parecia o sol em baixas proporções. Havia um jovem, entrando já na fase adulta, que ainda não tinha achado uma mulher para se casar. O jovem se distanciava de amores, compromissos e relacionamentos. Ele estava na beira de um lago sozinho e entristecido. Yue Lao precisava intervir. 

- Meu rapaz. – Apareceu o Deus com a aparência de um mendigo caminhando em sua direção. – Não acha que já é hora de arrumar uma companheira para sua vida? 

- Não! – Respondeu o jovem com rapidez. – Eu não vou me casar. – Ele parecia estar certo de suas palavras e sua expressão era séria. 

- O destino está me dizendo outra coisa. – Disse o velho homem que se sentou junto dele na beirada do lago. 

- O que ele está dizendo? – O jovem pareceu curioso. 

- Ele me diz que neste exato momento há também uma jovem do outro lado do lago que está a procura também de um amor. – O velho disse olhando ao horizonte. 

- Como sabe disso? – O jovem logo questionou, era impossível saber o que tinha do outro lado do lago, era bem extenso e além do que estava de noite. – Não há ninguém do outro lado e também, não consigo enxergar. É mentira. 

- Então olhe novamente. – Disse o velho. 

O garoto olhou e ficou incrédulo. O lago parecia totalmente iluminado e conseguia enxergar do outro lado. Era como a margem estivesse bem próxima dele. O jovem também percebeu que havia um fio avermelhado que percorria as águas e levava até uma jovem de cabelos escuros do outro lado. Este fio estava preso nele e também nela, em seus respectivos tornozelos. 

- Agora acredita? – O velho sorriu.

- Não! – O jovem surpreendeu Yue Lao e pegou a primeira pedra que viu na frente e atirou contra a moça causando um grave ferimento no rosto dela. 

Após o acontecido Yue Lao desfez a magia da luminosidade e proximidade da margem do lago e sumiu. O jovem saiu correndo dali também e a corda vermelha que ele viu antes estava tão emaranhada que ele não conseguia mais ver. 

O Deus voltou para Yaochi, estava um pouco em desespero, pois era a primeira vez que um humano agia de uma maneira tão agressiva para com outra pessoa.

“O que eles estão fazendo? Será que meus anos de meditação causaram essa confusão na mente deles? Meus fios já não servem mais?” O Deus se questionava enquanto observava de longe aquele jovem que corria longe. “Não pode ser... Meu fio do destino é verdadeiro. Aquele jovem não pode fugir.”

E por anos Yue Lao observou aquele jovem. O jovem já desistira de se casar e estava prestes a cometer um suicídio, porém, o fio vermelho mostrou a sua magia e depois de muitos anos, o jovem, já adulto se encontrou com a mulher que ele tinha jogado a pedra. Ambos se casaram e estavam vivendo felizes. 

Yue Lao ficou tão focado nestes dois que se esqueceu um pouco dos outros milhões de fios vermelhos que existiam no mundo. O esquecimento, fez com que Xi Wangmu viesse até seus aposentos na montanha Kunlun, conversar com seu filho. 

Os aposentos do Deus Yue Lao eram tão belos quanto o de qualquer outro Deus. Ele se encontrava em sua sala de estar apreciando as estrelas que estavam próximas. 

- Yue Lao. – Ela disse em tom alto, parecia um pouco alterada e sua expressão era séria. 

- Sim, minha Mãe. – Ele respondeu sem desviar o olhar das estrelas. 

- Você sabe o que está fazendo? Você realmente entende o seu papel como o Deus do amor e do bom casamento, Yue Lao? – Ela se aproximava. – Não entendo o motivo de você estar tão concentrado nos humanos sendo que eles são imperfeitos. Yue Lao, você está me ouvindo?

- Sim, Mãe. – O jovem Deus então olhou para Wangmu, seu olhar era suave e tranquilo. – Não estou nenhum pouco interessado nos humanos, estou fazendo o meu papel e mostrando o caminho do verdadeiro amor para todos eles. 

- Você ficou concentrado em um único casal de humanos por muito tempo. – Disse ela. – Você não pode criar laços com humanos. Será que é difícil entender isso? 

- Eu não criei laço algum... Apenas despertou a minha curiosidade sobre o destino desses dois. – Disse ele.

- O destino deles já estava traçado com o fio que você colocou neles. Não tem que viver a vida deles. – Ela parecia nervosa. – Yu Huang veio me questionar sobre você, tive que falar a verdade e ele não está nada satisfeito com suas atitudes, Yue Lao. Você pode ser banido de Yaochi e viver como um humano qualquer. É isso que quer?

- Não. – Ele respondeu seco e olhou para as estrelas. – Mãe, porque o nosso criador, Pan Ku fez o mundo como ele é hoje?

- Porque ele assim desejou, meu filho. Agora vá deitar e descansar, seus pensamentos estão todos embaralhados.  – Ela se retirou em um piscar de olhos. 

“Porque ele assim desejou.” Yue Lao seguiu o conselho da Rainha Mãe e se deitou olhando as estrelas, porém, seu pensamento se perdia conforme ele continuava a se lembrar daquele casal de humanos.

Os anos se passaram rapidamente, Yue Lao ia amadurecendo sua mente e seus pensamentos ficavam tão emaranhados quanto os fios avermelhados que os humanos deixavam em suas vidas. 

O Deus do Amor nunca deixou de observar o casal de humanos daquela vez. Eles tiveram uma filha, uma linda garota com olhos brilhantes e pele macia e ela já estava para completar a transição para a vida adulta. Esta época, um pretendente deveria existir. 

Assim como o criador de tudo Pan Ku desejou criar este mundo, Yue Lao também desejou desafiar a ordem divina. Sua missão era interligar as pessoas na fase adulta para conhecerem seus respectivos amores, mas desta vez Yue Lao não amarrou nenhum fio na jovem filha do casal de humanos. Ele gostava da sensação de desafiar os Deuses Superiores.

Certo dia, enquanto ela caminhava pelas trilhas de flores do campo para colher algumas plantas, Yue Lao apareceu com sua aparência velha. 

- Olá, minha jovem! O que está fazendo por aqui? – O Deus disfarçado perguntou, para engajar uma conversa. – Eu sou Lao, prazer.

- Estou colhendo flores para minha mãe fazer um chá. – Ela respondeu sorrindo, não parecia conversar muito com outras pessoas. – Me chamo Jing Lee.

- Entendo. Diga-me, jovem, você já tem um pretendente? – O velho sorriu. – Não que eu esteja interessado, sou um velho já experiente... Mas na sua idade...

- Eu não tenho ninguém e não preciso de ninguém – Ela respondeu seca. Seus olhos apesar de brilhantes mostravam certa raiva. 

- Eu ouvi isso centenas de vezes... E todas às vezes as pessoas que disseram isso estava erradas. – O velho concluiu. – Você também vai estar algum dia. 

- Eu com certeza morrerei antes desse dia chegar, senhor. – A jovem continuou a colher suas flores. 

O velho continuou a caminhar e quando a jovem já não podia mais vê-lo, ele desapareceu e subiu novamente na morada dos Deuses. A frase que aquela jovem declarou era bastante forte e agressiva e logo ele começou a se questionar o motivo daquilo. 

Por ser um Deus ele poderia saber da vida dela. A jovem tinha uma doença terminal muito rara e poderia morrer a qualquer instante. As flores eram a única coisa que ela podia fazer para amenizar as dores e a febre. Ele ficou perplexo e decidiu intervir da sua maneira. 

Com seus poderes divinos, ele criou um laço vermelho diferente. Normalmente os laços eram amarrados nos tornozelos dos humanos, desta vez seria de outra maneira. Com magia ele amarrou o laço no dedo mindinho esquerdo da jovem e a outra ponta ele amarrou em seu dedo esquerdo. Aquilo faria a jovem ter a energia divina de Yue Lao e não sofrer com a doença terminal, porém, ele não sabia das conseqüências que isso traria.

O jovem Deus fazia suas aparições diante dos humanos e mais freqüentemente na vida de Jing Lee. Conforme sua freqüência aumentava, era possível notar que a jovem parecia se abrir mais para com o Deus na aparência de um velho senhor. Já Yue Lao não conseguia deixar de pensar na jovem Jing Lee.

Seus pensamentos se perdiam quando o assunto era ela. As noites começaram a não existir, pois ele não conseguia dormir. Os dias se tornavam longos demais quando ele não a via pessoalmente. As horas pareciam demorar o dobro para se passar. Tudo era bastante intenso, quando o assunto era Jing Lee e o Deus não sabia dizer com exatidão o que estava acontecendo.

“O que está acontecendo?” Ele se questionou. Estava sentado em seus aposentos na solidão divina como era de costume. “O que este laço está me causando? Se os outros Deuses descobrirem, serei morto.” Ele então retirou o fio, colocando em risco a saúde da jovem, porém, não era o fio que os conectava mais, mas sim, suas almas e corações.

Duas exatas semanas se passaram e Yue Lao sempre pela manhã ajudava Jing Lee a colher flores para seu chá. A jovem havia falado sobre sua doença com o velho. Naquele dia, Jing Lee parecia com vontade de falar alguma coisa.

- Senhor Lao. – Ela veio sorridente. – Eu tive um sonho muito interessante hoje. – Ao contrário da primeira vez que eles se falaram ela agora estava sorridente e saltitante. Seu sorriso era espetacular. 

- Conte-me Jing Lee. – O velho curioso se apoiou em um tronco de árvore para ouvir.

- Sonhei que o senhor na verdade era um dos Deuses da montanha de Kunlun. – Ela começou a gargalhar. – Um belo Deus com ombros largos e cabelo bem escuro. O senhor era tão lindo e tão brilhante que eu mal conseguia enxergar. – Ela começou a colher as flores. – Estranho não, é?

- Sim, sim... – O velho não acreditou no que ouvia. – Jing Lee hoje eu não vou poder te ajudar na colheita, sinto muito. 

- Por que Senhor Lao? – Ela estranhava. – Foi algo que eu disse?

- Não. De maneira nenhuma, só preciso resolver algumas coisas em casa. – Ele respondeu e assim como das outras vezes, ele foi andando e quando estava já distante da visão de Jing Lee, ele magicamente sumiu.

Yue Lao transpirava. Suas mãos estavam trêmulas e ele encarava então aquele fio vermelho que ele tinha tirado de si.

“O que é isso? Como ela sonhou isso?” O Deus estava em seus aposentos e estava sozinho. “Como vou esconder isso do Imperador Jade? E Wangmu?” Ele passava as mãos em seus olhos, enquanto seu pensamento se concentrava na imagem da bela Jing Lee sorrindo. “Por que não paro de pensar nela? Esse é o poder deste fio? Mas se eu sou o Deus que controlo todos esses fios, não deveria fazer efeito em mim...” Sua cabeça estava uma extrema bagunça. “Amor?”

“Você não sabe, você sente”. A frase de Yu Huang apareceu de repente em sua mente. Ele começou a pensar ainda mais e quanto mais pensava, mais a imagem de Jing Lee aparecia em sua mente, seu sorriso, seu cheiro, era como se ela estivesse ali. Seu coração disparava cada vez mais. “Você sente...” Ele repetia para si mesmo. “Será que é isso que estou sentindo então? Amor?” 

Ele passou o restante do dia se perguntando, até que a noite enfim chegou. Ele havia tomado uma decisão. Ele iria aparecer com sua verdadeira aparência para a Jing Lee e depois, ele iria desfazer o que começou. Aquilo poderia piorar a doença da jovem, mas pelo menos, os Deuses de Yaochi não desconfiaram dele. 

Sem perceber o Deus estava apaixonado por aquela garota e a garota apaixonada pelo Deus.

Naquela noite, ele apareceu na casa de Jing Lee. Era uma casa bem simples. Toda feita com madeira assim como o telhado também. A porta de entrada era a única também de saída. Dentro de casa, estavam reunidos o pai, a mãe e ela. Com magia, Yue Lao fez com que um barulho forte fosse ouvido de fora da casa, imediatamente o pai de Jing Lee se levantou para observar lá fora, o Deus se escondeu.

Enquanto o homem vasculhava, a mãe saiu lá fora e a jovem também. O Deus tinha colocado o pai dela em um transe e ele não voltaria para casa tão facilmente. Jing Lee foi procurá-lo. 

Ao enxergar seu pai de longe, a jovem chamava-o, mas de nada adiantava, até que Yue Lao com sua aparência real surge diante dela. Ela se espantou.

- Jing Lee. – Ele disse sereno. 

- Como sabe meu nome? Quem é você? – Ela recuava vagarosamente.

- Eu sou Yue Lao. O Deus do Amor. – Ele falava de um modo tranquilo, que deixava a jovem menos assustada. – Sou o Deus que você enxergou no seu sonho. Sou também o senhor que sempre lhe ajuda a colher as flores. 

- Não pode ser! – Ela se ajoelhou, estava em lágrimas.

- Pode ser levantar, Jing Lee. – Ele falou. – Eu vim para me despedir. 

- Se despedir? Mas você acabou de chegar! Por favor não se vá. – As lágrimas da jovem caíam e de alguma maneira Yue Lado sentia que ela estava sofrendo. O fio vermelho então apareceu e estava em evidência. – Eu lhe imploro!

- Não posso Jing Lee. Burlei as leis do céu e posso até ser punido por isso, precisamos nos despedir. – Ele mostrou o fio vermelho que uniu eles dois. – Este fio uniu os nossos corações. Este fio foi capaz de curar a sua doença, devido à minha energia divina, mas isso precisa terminar. Perdoe-me por isso. 

O fio estava visível também para a garota, ela rapidamente puxou o fio e a força do puxão a levou para perto de Yue Lao. O Deus e ela estavam frente á frente, seus lábios quase estavam se tocando. O coração de ambos palpitava. 

- Jing Lee... – O Deus estava prestes a tirar o fio vermelho de seu dedo mindinho.

- Yue Lao... – Ela com coragem e deixando as lágrimas caírem, encostou sua boca na boca do ser divino. Um beijo aconteceu ali, apesar de não estarem mais conectados pelo fio vermelho, a conexão entre eles era ainda maior. – Agora eu entendo perfeitamente. Eu não fui feita para amar ninguém. Eu só estou viva até agora porque você burlou uma lei divina e está aqui. Agora entendi perfeitamente o que eu sou, eu só achei que o Deus do meu sonho, fosse mais humano

- Errada! Você está errada. – O Deus parecia impaciente. – Tudo o que fiz por você até agora foi para te proteger! Eu não sei o que está acontecendo comigo, mas eu preciso resolver isso agora. – O homem deu dois passos para frente e encarou o céu, mais precisamente a montanha Kunlun.

- Isso é um adeus? – Jing Lee limpava as lágrimas. 

- Não, pelo contrário. Eu vou desafiar todos os Deuses por você. – Ele encarava o céu escuro daquela noite.

- Você não pode Yue Lao...

- Eu sei que eu não posso, mas eu também não posso me apaixonar por uma humana e acabei me apaixonando. Prometa-me uma coisa... – Ele finalmente olhou para ela. – Você nunca vai se esquecer de mim.

Ela agarrou a mão do Deus e aproximou-se de si. A mão gélida do ser divino começava a ficar quente com o calor humano.  Ela pegou o dedo que o fio vermelho estava amarrado no Deus e uniu ao seu dedo que estava amarrado.

- Eu prometo. – Ela disse confiante.

Assim que ela prometeu o Deus se desfez como se fosse areia, um pó dourado começou a cair de onde ele estava e o pai de Jing Lee tinha saído do transe. Ele havia subido até a montanha Kunlun para enfrentar os outros Deuses.

Yue Lao aparecia diante do palácio de Yu Huang, o Imperador Jade. Sua vestimenta agora era a de um guerreiro. Uma armadura completamente dourada e brilhante da qual ele possuía, além disso, ele continha uma espada tão brilhante quanto. 

Conforme Yue Lao deu dois passos para se aproximar do palácio de Yu Huang, um exército de guerreiros apareceu e na frente desse exército uma das capitãs, esta era Nezha. Ela era filha de Li Jing, o general do exército celeste e ela era encarregada de colocar um fim nos espíritos maus e Deuses que se rebelavam contra a vontade de Yu Huang. Ela flutuava devido a duas rodas de fogo embaixo de seus pés, ela era extremamente poderosa.

- O que veio fazer aqui, Yue Lao? Todos já sabem o que você pretende. – Era sabido de todos da morada dos Deuses o que Yue Lao havia feito, portanto, todos já tinham o conhecimento sobre o ataque dele. 

- Não quero lutar. Apenas vim conversar com Yu Huang. – Ele largou a espada e a mesma caiu ao chão fazendo um barulho ensurdecedor até mesmo para os Deuses. – Quero receber o meu julgamento como eu mereço.

- O seu julgamento já está a caminho. – Ela sorriu. – Veja você mesmo.

Repentinamente uma massa de nuvens surgiu na frente dele para que ele mesmo pudesse ver o que estava acontecendo. 

Nas imagens formadas pelas nuvens, aparecia Guan Yu, o Deus da Guerra assassinando Jing Lee. Ele atravessava seu guan dao no corpo da jovem que nem tinha como sobreviver após aquilo. 

Yue Lao foi tomado por uma fúria nunca jamais vista antes e no próprio paraíso os trovões começaram a se concentrar. Os palácios que estavam localizados no topo da montanha iam se desmoronando devido aos fortes ventos e trovões. O Deus do Amor era também um forte guerreiro. 

Nezha tentou impedir avançando contra ele, mas a aura de Yue Lao era tão grande que nem mesmo uma capitã celeste conseguiu parar. Guan Yu também apareceu, ele era tão poderoso quanto e sua arma era capaz de penetrar qualquer coisa. Quando os dois estavam para trocar golpes, o imperador jade finalmente apareceu diante deles. Seu poder era tão grande que ele conseguia paralisar os dois Deuses apenas com o olhar. Os céus se acalmaram em questões de segundos. 

- Yu Huang! – Exclamou Nezha que imediatamente fez uma reverência. – Meu senhor, Yue Lao está fora de controle e...

- Eu sei. – Ele balançou a cabeça. – Pode deixar que eu assumo daqui para frente. Guan Yu pode ir também. – Ele se direcionou para o Deus do Amor, seus passos eram calmos e aos poucos a fúria de Yue Lao ia diminuindo. – Me conte Yue Lao.

- Meu senhor. – Ele não se colocava na postura para reverenciar o Deus Supremo. Seus olhos eram sérios e ele encarava com um semblante desafiador o seu superior. – Vim aqui para o meu julgamento. Eu não mereço ser mais um Deus, posso aceitar a minha vida como um mortal ao lado de Jing Lee. Guan Yu acabou matando-a, mas sei que o senhor pode controlar todas as vidas e trazê-la de volta. 

- Eu vou te dar duas opções Yue Lao. – O Deus colocou a mão sobre o ombro esquerdo dele. – Uma das opções vai te levar para o caminho do sofrimento e também da angústia, mas é o mais fácil. O outro, porém, vai te levar no caminho da felicidade, mas é o mais difícil. Será que você sabe qual escolher? 

- Apenas diga-me. – Yue Lao foi seco.

- Posso trazer Jing Lee de volta à vida, mas esse fio vermelho terá que ser colocado em outra pessoa. Eu esquecerei todas as suas fatalidades e você continuará sendo um Deus aqui conosco. Você terá a sua vida e ela terá a dela. – Ele disse. – O outro caminho é que você deve se sacrificar e esquecer tudo o que aconteceu hoje para que o fio vermelho seu e de Jing Lee possa continuar existindo, eu me certificarei de que eles estarão conectados por toda a eternidade. Suas almas sempre se encontrarão em outras vidas. – Yu Huang terminou e esperou um pouco. – E então, o que vai escolher? 

- Eu vou escolher o que eu estou sentindo nesse momento e o que eu desejo fazer. – Yue Lao sorriu. – Panku nos criou porque assim desejou, se não fosse sua vontade, não estaríamos vivos, não existiria nada. Você disse que nós Deuses, também podemos amar. – Ele esticou os punhos na direção do Deus. – Eu amo Jing Lee. Eu não me importo de não tê-la nesta vida se na próxima eu vou poder me apaixonar novamente por ela e depois na próxima e na próxima. Eu estou pronto para me sacrificar. 

Houve um momento de silêncio e antes que Yu Huang pegasse o espírito de Yue Lao, o imperador lhe falou as seguintes palavras.

- Estou orgulhoso de você, filho. – E com um sutil toque no topo da cabeça do jovem Deus, o espírito dele se desfez. O fio vermelho ficou ali flutuando enquanto o corpo dele desaparecia e apenas um orbe luminoso ficava diante de Yu Huang. O orbe luminoso era a alma de Yue Lao. O imperador com a mão esquerda trouxe outro orbe luminoso dos céus e este provavelmente era a alma de Jing Lee. Com cuidado ele amarrou o fio vermelho nos dois orbes.

A alma de Yue Lao e Jing Lee estavam unidas para sempre, porém, o que nenhum deles sabia era que da mesma maneira que eles foram separados hoje, eles seriam por toda a eternidade.

O fio vermelho contava toda a história e não havia como mudar o destino já decidido.


Próximos contos

Próximos capítulos

Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

1900
leia →
Conquistas
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

1976
leia →
Conquistas
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

1992
leia →
Conquistas
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

5200
leia →
Conquistas
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

A Barda De Ébano
leia →
Conquistas
Sobre

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

Deixe queimar
leia →
Conquistas
Sobre

O melhor casal / relacionamento entre os personagens da trama.

Conheça todas as Conquistas oficias Bilbbo.

Realidade de Teseu
leia →
Conquistas
Romeu e Julieta
Ambiente de leitura
Light
Grey
Sepia
Dark
-T
Tamanho de Fonte
+T