Ao falar sobre a Bilbbo para alguém não nos apresentamos como uma editora tradicional ou uma jovem startup do mercado literário, falamos de nós como sendo contadores de pequenas histórias, contos, e que na prática o que fazemos é organizar e publicar antologias online. A reação é quase sempre a mesma: Uma cara de interrogação e a pergunta um tanto curiosa "O que é uma antologia?".

Antologia não é uma palavra muito conhecida pelas pessoas, menos ainda quando saímos do meio literário onde o termo é comumente utilizado, no entanto, antologias aparecem com uma certa frequência e tem aparecido cada vez mais em nosso cotidiano. Aqui estou eu para explicar, a você que ainda não conhece, o que é uma antologia e como ela pode ser uma opção incrível para quem está começando a sua carreira como escritora ou escritor.

Afinal, o que é uma antologia?

Antologias são, em minha nada humilde opinião, um agrupamento de contos com pontos de vista diferentes sobre um mesmo assunto. Capazes de remediar grandes sofrimentos e também de causá-los, caso você seja um daqueles leitores que não aprendeu a dizer adeus para suas leituras.

Segundo o Michaelis e o Aurélio uma antologia pode ser definida como uma coletânea de textos literários, em prosa ou verso, selecionados das obras de autores célebres, dispostos segundo critérios diversos: tema, época, autoria etc. A palavra tem sua origem no grego ‘anthos’, flor, e ‘lego’, o qual pode ser compreendido como escolher; resultando em ‘florilégio’, uma coleção de flores.

A antologia mais antiga de que se tem conhecimento foi estruturada pelo poeta grego, Meléagro. Entretanto, o termo só obteve a sua real adoção como filho após o século XVIII se tornando irmão de outros termos como 'cancioneiro’, ‘flores’, ‘florilégio’, ‘romanceiro’, ‘silva’ e ‘silvas’ para se referir a coleções de textos literários.

Mas e o que dizem os escritores?

Não satisfeito com tais definições, trilhei um caminho até escritores, os quais se depararam com a Bilbbo um dia desses, e os questionei: O que representam as antologias para você como escritor ou escritora?

Oportunidade

A primeira característica pontuada sobre o papel das antologias na tenebrosa jornada de um(a) escritor(a) é a oportunidade de entrada no mercado que elas podem proporcionar. Antologias permitem ao jovem escritor publicar suas primeiras obras rapidamente sem necessariamente investir anos de sua vida na construção de um grande Romance, não que tal escritor não possa fazê-lo. Obtive respostas incríveis e louváveis, começo pela fala da Carol Façanha, escritora aqui na Bilbbo.

"Antologias são, para mim, uma porta de entrada para o mundo editorial, que faz com que eu comece a enxergar meus escritos como algo além de algo que escrevo na surdina na noite ou para guardar numa gaveta, é quando entendo que um outro lerá o meu texto e é com ele que devo me comunicar" - Carol Façanha, Escritora

Assim como a Carol, Vinicius Peron apresentou esta interpretação das antologias como uma porta de entrada além de ressaltar que através delas também é possível testar personagens ou ambientações para posteriormente inserir em um romance.

"As antologias para mim são como uma porta de entrada para mostrar o meu trabalho, criar meus personagens, me desafiar em alguns temas e quem sabe usar esses contos, para no futuro, adaptar para um livro." - Vinícius Peron, Escritor

O exercício da escrita

Poderia encerrar este artigo com estas ótimas visões sobre o papel da antologia na vida de um escritor, mas antologias podem exercer um outro papel, mesmo para autores já publicados, que é o de tirar o autor ou autora de seu cobertorzinho quente, sua zona de conforto.

Por natureza, antologias são compostas por pequenos textos literários, normalmente contos, e escritores que se propõem a compor um destes contos, o faz em um curto período de tempo se comparado à criação de um romance. Tal agilidade na construção de uma história possibilita ao autor explorar caminhos novos que talvez ele não o faria antes, em outras palavras, enquanto um exige dois, três ou mais anos, o outro pede apenas alguns meses para ser concluído.

"As antologias tem sido pra mim uma válvula de escape da rotina. Tenho exercitado uma parte de mim que estava adormecida faz muito tempo e fora o exercício de escrita, respeitando coesão e coerência, além da gramática." - Giovana Mazaro, Escritora
"A oportunidade de me desafiar e evoluir, escrevendo historias com temas fora da minha zona de conforto e as vezes com o prazo curto." - João Vitor Trevizan, Escritor

Conexão com profissionais

A Sophia, também escritora aqui na Bilbbo, me lembrou de um ponto fundamental que a participação em antologias proporcionará ao escritor que se deixar envolver: a conexão com outros colegas escritores. Alguém algum dia me disse: Escritor é uma profissão muito solitária. Questiono se é necessário ser desta forma sendo que hoje, cada vez mais, existem comunidades cheias de aspirantes e escritores já publicados que se dispõem a ajudar uns aos outros, ainda mais em um país com grandes barreiras como o Brasil.

"As antologias representam, acima de tudo, uma oportunidade para entrar no mercado. Elas além de servirem de treino, possibilitam um escritor conhecer outros colegas do ofício e obter contatos no âmbito editorial. E justo por serem um trabalho em equipe, facilitam publicações, e são incentivo para criações próprias mais ousadas, como livros ou coletâneas." - Sophia Leite, Escritora

Saber que existem outras pessoas que passam por situação semelhantes ou, por vezes, piores que a sua, pode ajudá-lo(a) a entender que ser escritor(a) exige uma certa resiliência e persistência.

Construção de uma comunidade

Se posicionar no mercado literário como um escritor não é tarefa fácil, se torna ainda mais difícil quando não se tem um público leitor já formado em torno de suas obras publicadas, sejam através de uma editora no modelo tradicional ou através de serviços como os da Amazon.

Antologias ajudam o jovem escritor a começar a construir tal comunidade que apreciará suas obras, mesmo que a princípio elas sejam pequenas ou "apenas" contos. E em tempos de redes sociais, seus leitores exigirão de você tempo e principalmente o relacionamento verdadeiro com eles. E se tenho a autoridade para deixar um conselho para estes que estão iniciando é que não desistam. O caminho é árduo, não mento, mas apresento um breve testemunho da Rose Paz, escritora queridíssima aqui da Bilbbo, para que você entenda que persistência é também uma das habilidades que você, escritor e escritora, deve possuir e que através de antologias é possível desenvolvê-la.

"Participei de algumas antologias. Fui muito bem tratada por umas e desconsiderada por outras, contudo, o que aprecio profundamente, é a elaboração do edital e o cuidado com as obras. Infelizmente tive uma experiência super desagradável com uma publicação onde, deliberadamente, alteraram o texto, o formato, a métrica e inseriam erros gritantes de digitação, maculando nossa nobre língua portuguesa apenas para caber na página. Enfim, 'these things happens with anyone'.

Sobre as Antologias, creio que existam dois tipos distintos de convocação: Uma para dar visibilidade as editoras e outra para dar visibilidade aos escritores. Ainda assim, todos sairiam ganhando, entretanto, a condução da coisa é que costuma desvirtuar a proposta.

Os editais de convocação devem ser bem elaborados e transparentes, principalmente quando envolvem cobranças para as publicações. Sobre isso, tenho minhas reservas, pois existem meios de divulgar e prestigiar sem contra partidas tão onerosas para os novatos. A obrigação de pagar pelos próprios livros chega a ser humilhante. A Amazon vem desmistificando isso, contudo é bem trabalhosa a edição para eBook. Em um país, em que pouco se lê, qualquer movimento para popularizar a leitura e a interpretação dos textos é louvável, sobretudo quando há enquetes em saraus; quando aliamos a convivência entre nossos pares e um momento prazeroso para o intelecto. Creio também que as premiações e/ou certificações decorrentes das seletivas sejam essenciais para o ego e incentivo à continuação nessa jornada tão árdua." - Rose Paz, Escritora

Aqui na Bilbbo organizamos mensalmente uma nova antologia e a publicamos digitalmente em nossa própria plataforma de streaming literário. Graças a elas, conhecemos pessoas incríveis e por consequência suas incríveis histórias que devem ser contadas para o mundo. Dentre os achados estão as verdades de Ricardo Ventura, dispostas em forma de contos.

"Uma antologia é uma porta-espelho a caminho de Sabe-se Lá Onde. Convenhamos, perder-se é parte do trabalho de um explorador, não me envergonha, portanto, admitir que estava perdido e sozinho. Meu mapa tinha pontos de partida e nenhum de chegada, tomava notas a respeito das diversas pontes e trilhas que descobria, mas a confusão impedia a escolha de uma direção. Avistei então um brilho incomum e deparei-me com meu próprio reflexo em uma porta de vidro, enraizada no meio do nada. Podia ser a entrada para o lugar desconhecido que desejava um dia chamar de lar, entretanto estava trancada e, embora a empurrasse e sacudisse a maçaneta, a fechadura resistia. Aceitei a derrota sem a sensação de angústia que pressupus, pois quanto mais me esforçava, mais me enxergava na superfície de vidro e aprendia uma valiosa lição. Parti em busca de outras portas-espelho, e talvez também fracassasse na segunda ou na décima tentativa, porém acreditava com todo o coração que a compreensão gradual de si era a chave para abri-las. E acho que estava certo, já que avancei nessa jornada sem fim. O que há do outro lado das portas? Bem, cada uma revela uma paisagem distinta, mas todas oferecem ferramentas indispensáveis para futuras navegações, como amizade, instrução e reconhecimento." - Ricardo Ventura, Escritor

Mas... como funciona uma antologia e como eu posso participar de uma? Bom, isso á assunto para um próximo artigo. Deixe um comentário logo abaixo, assim saberei que você quer uma parte II falando um pouco mais sobre antologias e a arte de escrever com vários escritores.