Durante as idas e vindas da vida você tem um vislumbre de uma grande ideia para o seu primeiro romance e tem certeza de que é algo inovador e que pode revolucionar todo um gênero literário. Chegando em casa, determinado(a), você pega o seu notebook, abre o editor de texto e depois de algumas horas investidas na escrita, o início do que se tornaria uma grande saga, chegou à incrível quantidade de dois parágrafos e o segundo nem ficou tão bom assim. O feed do 9GAG e algumas muitas notificações do Whatsapp se tornaram muito mais interessantes.

É comum encontrar este clichê de história, afinal, procrastinar a nossa escrita acontece com mais frequência do que queremos admitir. Mesmo este texto, que agora você lê, foi escrito depois de duas semanas que havia me desafiado a escrevê-lo.

O assunto deste post não é sobre procrastinação, mas fique por aqui, prometo que será uma boa leitura, principalmente para você que quer saber como começar a escrever.

Mentalidade digital

Hoje, como todos bem sabemos, vivenciamos um período em que o mundo se torna cada vez mais digital e o mercado livreiro, mesmo a passos de formiga, segue o mesmo caminho. Um livro digital não deixa de ser literatura só por não ser impresso, suas características são singulares, sua capacidade de ser compartilhado facilmente e em dado momento viralizar é a essência de qualquer conteúdo publicado digitalmente.

Em tempos modernos é importante o escritor entender que seu livro busca espaço não apenas dentre outros livros do mesmo gênero que estão na prateleira ao lado, seu produto, o livro, quer tomar o espaço de plataformas de streaming como o Spotify ou o Netflix, produtores de conteúdo no Youtube ou no Google Podcasts, e acima disso ser considerado uma obra atemporal e digna de ser relembrada geração após geração.

Com este tenebroso cenário em mente, tenho uma boa notícia para você: não há uma formula mágica para fazer o seu livro, com suas singularidades, se destacar. Existem, no entanto, práticas e estruturas que devem ser estudadas e aplicadas para que sua história, tua verdade apresentada em palavras, seja adotada por leitores.

Mas como eu, que ainda estou apenas iniciando minha jornada de escritor(a), posso começar a escrever meu primeiro romance e me destacar em meio a todo esse mar de novos conteúdos?

Mínimo Produto Viável

Dentro do mundo de produtos digitais existe um termo muito comumente utilizado e que tomei a liberdade de "roubá-lo" e colocá-lo aqui no contexto da escrita. O termo em si não é importante mas ilustra o pensamento que quero trazer aqui para você.

MVP, Minimum Viable Product ou Mínimo Produto Viável é o termo dado à um produto que existe em sua forma base, uma versão reduzida que prova o seu valor para o cliente final, lembrando que reduzido não é o mesmo que incompleto. O que é, então, o produto do escritor se não a sua história?

Ao começar a escrever um romance dificilmente você chegará ao fim de sua história em uma única tacada e mesmo que chegue, dificilmente você e sua história estarão maduros o suficiente para o mercado. O exercício da escrita deve ser diário, contar histórias e entender como elas são formadas é a principal habilidade do escritor e o mesmo precisa saber como utilizá-la de inúmeras maneiras.

Separar sua história em camadas é uma ótima forma de entender quais elementos testar e verificar se funcionam ou não da forma como você imagina dentro do universo que você está criando.

Supondo que você esteja escrevendo uma fantasia, você pode quebrar a sua história nos seguintes elementos: governo, economia, personagem principal e mescla de gênero (fantasia + horror). A partir disso você pode escrever sobre cada um destes elementos separadamente para começar a entender o que é cada um deles e quais as regras que os regem. Esta intimidade gerada com cada um destes elementos permitirá que você saiba como relacioná-los futuramente em seu romance.

Para uma saga, sua versão reduzida pode ser um romance de volume único. Para um romance, um pequeno conto de até trinta mil caracteres. Para um conto, um mini conto.

Não interprete mal, escrever um MVP do seu romance é tão complexo quanto escrever o próprio romance. A vantagem está em conseguir aprender rapidamente o que funciona ou não, além de ser um processo de descoberta do(a) próprio(a) escritor(a).

Uma última dica que quero deixar aqui para você, nobre escritor(a). Se você quer testar uma ideia ou aprender a escrever sobre um determinado elemento da sua história, a Bilbbo publica mini contos em seu feed no Instagram (@bilbbistories) semanalmente. Dê uma olhada nos que já foram publicados e escreva você um mini conto.

Como mencionei anteriormente, não há uma fórmula mágica. Comece a escrever!